24 de nov de 2014


Literatura: Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil


Sabe aquelas coisas que estão bem debaixo do nosso nariz e por algum motivo não conseguimos perceber? Principalmente quando se trata de histórias, tradições, ligadas diretamente ou indiretamente a nós. Sabe aquelas dúvidas na aula de história onde a professora só respondia “- porque sim!” e pronto? De onde vem aquelas manias e mitos que ouvimos deste pequenos em nossas casas, ou frases, gestos que parecem ser indiferentes ou inexplicáveis a alguma história, personalidade, credo ou ritmo?

Há cerca de três anos, em uma fase muito especial da minha vida, conheci um livro do Leandro Narloch que caiu como luva naquele momento. Ao passear e conhecer a cidade do Rio de Janeiro, relembrar fatos e lugares que fizeram parte dos livros de história da minha 5º serie e consequentemente da nossa história como brasileiros, sentir uma sensação muito boa. Ao ler o livro nesse momento tão fresco da memória, percebi que as histórias que eu conhecia não eram bem assim. Ver em museus, o que tem ali escrito no livro e a diferença ou a falta de conclusão em algumas histórias, é ligar os fatos e me sentir uma burra, e depois uma Sherlock Holmes.


Capa


Estou falando do meu primeiro contato com o Narloch que foi através do “Guia Politicamente INCORRETO da História do Brasil”. Não sei como os críticos receberam esse livro no mercado, mas imagino que foi difícil de engolir ele sem um balde sem fim de água, gelada de preferência. Pois as revelações são quentes, diria mais, quentíssimas. O livro fala de personalidades como Luís Carlos Prestes, Lampião, Dom Pedro II, Santos Dumont, Dilma Rouseff dentre outros. Ainda sobre os índios, os comunistas, os negros, sobre o samba e muito mais. Agora você deve estar pensando, mais o que há de errado neles? Vamos lá então a alguns detalhes que o livro conta:

  • Sabe o Zumbi? Pois é, ele tinha escravos, capatazes e mandava matar quem desobedecesse suas ordens;
  • O 14-BIS realmente voava? Foi Santos Dumont quem realmente inventou o avião? É melhor ler e rever isso;
  • Quem mais matou índios, foram os próprios índios. E eles nem eram tão santinhos assim;
  • A origem da feijoada não é brasileira e sim europeia;
  • Gregório de Matos era dedo-duro;
  • Como assim o Imperador não dava de conta naquelas horas?
  • Banana a noite mata? E de onde vem o mingau? Que história são essas que minha mãe tanto pega no meu pé?
  • José de Alencar teria escrito uma carta ao Imperador sendo contrário ao fim da escravidão.
Ouvir essas coisas não soam nada legal, né? Lembrando que todas as passagens dos livros do Leandro Narloch são referenciadas com fontes e contextos histórico. O Narloch é jornalista e não historiador, por isso pode parecer ser estranho, já que são algumas revelações que “modificam” a história como conhecemos. Mas ai se você me pergunta se a leitura vale a pena? Te respondo demais. – Vale muito!!!!!  Cabe a você, ler, julgar e até mesmo pesquisar nas fontes indicadas a veracidade das informações.

Leandro Narloch -  Jornalista, cientista social, escritor
A saga conta com mais quatro livros, nem todos de Narloch. São eles: Guia Politicamente INCORRETO do Mundo(2012), Guia Politicamente INCORRETO da América Latina(2011), Guia Politicamente INCORRETO do futebol(2014) e Guia Politicamente INCORRETO da Filosofia(2012). Um deles já tenho a resenha pronta e será postada em breve, os demais (que ainda não concluir a leitura), irei providenciar pra vocês.

Livro: Guia Politicamente Incorreto do Brasil
Genero: Não - Ficção
Editora: LeYa
Lançamento: 2009/ Atualizado 2012
Páginas: 304
Autor: Leandro Narloch


0

0 comentários:

 
No Site da Nay - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo