5 de mar de 2015


Conselho para você que tem amigos (de verdade)


Segundo o Aurélio Online, amizade é “afeição recíproca entre dois entes”. E na minha opinião, uma ótima definição. Amizade é mais do que ter companhia para as baladas, é mais do que alguém para ouvir seus dramas e ajudar nos trabalhos da faculdade. Amigo é aquele que almoça com você, que vai para sua casa quando você está entediado para fazerem nada juntos, que te busca no trabalho, te acorda rindo, vai para cozinha com você, está com você nos melhores e piores momentos. É mais do que choro e gargalhada, é reciprocidade e carinho. Companhia para uma night é fácil, você arruma em qualquer esquina. Você arruma um amigo na esquina? Hoje em dia, nem na esquina nem em lugar algum, grandes amigos são bichos em extinção. Então como boa amiga, cuide dos seus para que não os perca porque encontrar novos não é tarefa fácil. Aliás, grandes amigos mesmo são insubstituíveis, mas mantê-los por perto é uma tarefa “árdua”. Durante a faculdade são um grude, nas aulas, intervalos e trabalhos. Mas quando acaba fica tudo mais difícil, cada um com sua rotina louca, vida pessoal conturbada (ou não), problemas, saúde, família, estudos, cursos, eventos, conjugues ou namorados ou peguetes, compromissos, outros amigos, viagens.. ai, cansei. Então, onde eu quero chegar? Quero chegar na parte do “divida-se em quantas for necessário, encontre, veja, abrace e valorize seus amigos porque uma hora eles cansam e a distância torna-se um consequência ruim, inevitável e talvez irreversível”. Ter muitos amigos é maravilhoso, ser querido, ter com quem contar, abraçar e cuidar. A dificuldade de ter muitos amigos é dar atenção à todos, tem sempre um mais disponível, que trabalha mais perto ou mora perto e você dá mais atenção, um que esteja passando por uma fase difícil ou que esteja muito bem, você está com saudades, mas esse mora longe, os horários não batem e as dificuldades são maiores, é esse que dá aquele aperto no peito. É, se tem algo incrivelmente mais doloroso do que aquele amor à primeira vista não correspondido, amor platônico ou paixão fulminante isso é sentir saudades sem poder matá-la, é receber um convite e não poder aceitá-lo. É receber uma visita e não poder retribuir. É quando o coração acelerar com a possibilidade de um encontro que não seja romântico. É mais do que carinho, é o amor tão sincero quanto o de um irmão. Saudades.. É preciso matá-la antes que ela mate suas amizades. A escolha é sua: saudades x amizade. Reflita!

Stephany, Nayara e Natália - 23 de julho de 2012
Texto por Stephany Muzi

0

0 comentários:

 
No Site da Nay - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo