1 de dez de 2015


Coluna do Masters – “Entrevista com o Vampiro”


Hoje ofereço o presente das trevas, prazer terrivelmente deslumbrante do lado sombrio da vida. São inúmeros os contos tenebrosos sobre vampiros, porém tenho este como uma das melhores referências sobre o assunto. A indicação desta semana vai além dos séculos, caminhando no vale da morte em busca de obter uma “Entrevista com o Vampiro” (Interview withthe Vampire: The Vampire Chronicles).

Dica da semana...
Em determinado momento da vida, surtamos com as consequências do destino. Geralmente atribuído a perdas, as dores da existência trazem questionamentos marcantes que moldam nosso ser construindo resultados irreparáveis. Em 1990, na cidade de São Francisco, um jovem jornalista entrevista um rapaz que afirma ser um vampiro. Descrente, o profissional questiona o entrevistado com certa ironia, mas é surpreendido com algumas habilidades do misterioso homem. Assustado, porém intrigado, o repórter se presta a ouvir a história desde a transformação em uma criatura noturna até os dias atuais, revelando 200 anos de uma vida macabra amaldiçoada pela eternidade.
"Eu tenho medo de mim mesmo." - Louis de Pointe duLac


Para quem já conferiu... (Contém Spoilers)
Um filme completamente banhado de conflitos emocionais, questionamentos sobre existência, solidão e sentido para a vida. Atribuo ao longa o elogio de uma das melhores produções sobre vampiros, visto que a imagem da lenda já foi muito destruída com péssimas obras ao longo do tempo.
O filme começa com algo bem comum, a boa e velha história sobre o homem que perde sua amada e se entrega aos pecados da vida em busca da própria destruição. Porém logo vem o diferencial, o jovem desiludido se transforma em uma das piores criaturas existentes gerando uma nova história ainda mais perturbada.
São abordados alguns pequenos detalhes que infelizmente passam as vezes despercebidos em nossas vidas. O nascer do sol, o sabor de um alimento, coisas simples que só percebemos quando perdemos. Inúmeras vezes é bem explorado a saudade do personagem pelo espetáculo solar. Além disso, é imenso o lirismo relacionado a tudo, tanto que a nova condição de vida lhe trouxe um olhar diferenciado ao ponto de ser citado como o questionamento sobre o mundo como um cego ver ou à admiração de um recém-nascido espantado com tanta novidade.
Crucifixos e estacas são ridicularizados, já caixões e sangue são pontos extremamente fortes e chegam a moldar muitas coisas no enredo. Louis em constante conflito sobre o certo e errado no consumo de sangue humano, já Lestat escolhe suas vítimas com apreciação e requinte de quem admira e degusta um bom vinho.
O apreço pela vida mortal transformou Louis em um vampiro diferente e admirado, mesmo com tantas críticas dos seus parceiros, seus inúmeros questionamentos tornaram ele poderoso e desejável como importante companhia. Mas tudo foi proveniente do aprendizado na vivencia com as insanidades de Lestat. Duas personalidades totalmente diferentes dando contraste a obra.
O filme cita algo que eu sempre me questionei. Seria a vida eterna uma maldição? O ponto esclarecido na trama mostra quem sim, mas essa problemática ainda rende bons conteúdos e discursões ramificadas que vão além deste contexto.
O ciclo de carências envolvem os personagens gerando intrigas que trazem destruição de grande parte deles. Podemos perceber que Claudia, Lestat e Armand amavam Louis ao ponto de disputar a companhia dele. Tanto que o “nascimento” de Claudia pode ser atribuído como uma o “golpe da barriga” aplicado por Lestat para segurar Louis, apesar dele também ter criado algumas afeições pela garota, a mesma foi um instrumento de segurança.
Me deleito com todo o figurino, são encantadoras as vestimentas de época que dão maior realidade e expressão a trama. Além da sensualidade que traz personalidade aos mestres da noite. O avanço tecnológico marca o tempo, define épocas e mostra que mesmo com tantos anos se passando os vampiros continuavam com algumas ideologias do tempo em que nasceram.
Por fim, uma obra extremamente marcante e convidativa para a leitura do livro que deu origem a mesma. Que novas ideias possam se inspirar nessa para gerar produções tão boas quanto.


Informações:
Direção: Neil Jordan
Livro: Entrevista com Vampiro (Anne Rice)
Elenco:Tom Cruise / Brad Pitt / Kirsten Dunst / Antônio Banderas / (...)
Género: Fantasia / Drama / Terror
EUA– 1994 – 2h3min

Trailer:


Cenas do Filme:










Hélio Masters
Jovem estudante de publicidade e propaganda que se entrega aos diversos estilos buscando compreender a arte de viver.

0

0 comentários:

 
No Site da Nay - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo