20 de jan de 2018


Cinqüenta tons das minhas experiências tardias


Eu devo ser umas das pessoas mais atrasadas da atualidade, e sempre tenho tido experiências tardias, e isso não me faz menos louca que os normais. O exemplo disso é minha primeira serie eu ter visto apenas no meio do ano passado (quem acompanha o BG há um tempo, sabe que eu to falando de FRIENDS <3! Pera ainda, ano passado não, 2016, é ruim pra acostumar, todo começo de ano é a mesma coisa).
A experiência que eu trago dessa vez se chama Cinquenta Tons de Cinza, ou Christian Grey, ou o “ser humano limpinho e gostoso” como já dizia a Srta. Kavanagh.

Desde 2015 que eu escutava com freqüência coisas do tipo “já leu 50 tons de cinza?”, “amiga tu precisa ver esse filme!”, “de que planeta tu não sabe quem é o Grey?”, e mesmo diante de tudo isso nunca me sentir tentada. Só ouvia falar de todos os tipos de comentários: “os atores não se gostam”... “o sexo é explicito de verdade”... “ele amarra ela assim, assim, assado”, e tudo isso me deixava ainda mais distante da historia.



Até que em julho de 2017 uma amiga sem saber da minha analfabetice greynatica, me convidou a monitorar uma página que ela administrava no facebook sobre o assunto, o que eu fiz? Mais uma vez, fugi! Dias depois, achei os benditos livros nas coisas da minha irmã mais nova e ai não tive como driblar os argumentos da minha irmã – pra quê que eu fiz isso!

De cara posso dizer que foi amor ao primeiro capitulo. Li cada frase desejando consertar cada duvida da Ana e colocar o Christian no colo e de verdade ajudá-lo. Foram ao total mais ou menos 96 horas, quase ininterruptas. A cada livro que terminava já via o filme especifico em sua seqüência. E vejo agora a realidade como o poeta já citará: “Eu acho que o jogo virou, não é mesmo?!”



Ao concluir a trilogia, já emendei ao Grey – Cinquenta Tons de Cinzas aos Olhos de Christian Grey, e devo dizer que esse é meu preferido até então (por que né, Darker está ai!). E embora ache que a versão de Anastasia por ser a primeira, tenha me causado mais emoção, até mesmo por que eu nunca tinha visto nada de sua historia. Porém a de Grey não fica muito atrás, mais completo, preenchendo lacunas e seu romance psicologicamente mais envolvente. A forma dele se negar aos sentimentos, mesmo se entregando sem perceber, é maravilhoso.


Enquanto aguardava ao trailer de Fifty Shades Freed – Cinquenta Tons de Liberdade, no Brasil – que por sinal vou deixar aqui em baixo pra vocês aplaudirem esse hino também, - e o livro Darker, Cinquenta Tons mais Escuros pelos olhos de Grey, que é a seqüência, que já ocupa os primeiros lugares entre os mais vendidos nos EUA e com lançamento para no dia 19 passado aqui no Brasil, porém já estava em algumas livrarias bem antes disso, li Cinquenta tons de Jamie Dornan, uma espécie de biografia do ator – danadinho já teve quedinha na minha Hermione, mas falo sobre isso num próximo post, resenha do livro, talvez! (update: alguns dias após escrever esse post, ganhei outra unidade desse livro, que tal um sorteio?)



A franquia no cinema chega ao fim no próximo 9 de fevereiro, quando o ultimo filme chega aos cinemas de todo mundo. Os ingressos para a pré-estreia já estão disponíveis e então já poderemos coçar os bolsos para compra de ingressos. O jogo agora é preparar os lencinhos e esperar pra ver o casamento mais improvável e esperado das telas em 2018.

E ai, me conta! Já leu e assistiu essa maravilha? Pra você o negocio é realmente de com força, ou é baunilha? Rs!




0

0 comentários:

 
No Site da Nay - Copyright © 2016 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo